terça-feira, 13 de novembro de 2007

O vovô dos sebos brasileiros

No livro "Memórias da Rua do Ouvidor", Joaquim Manuel de Macedo, ao narrar a história dessa famosa rua carioca ao longo de trezentos anos, nos apresenta o que deve ter sido um dos primeiros sebos brasileiros: a Casa do Livro Azul.

Dirigida pelo francês Albino Jordan, abrasileirado para Albino Jordão, foi uma das primeiras a vender livros usados.

A livraria funcionou de 1828 até 1852, inicialmente no número 138 da Rua do Ouvidor e posteriormente no número 121, no trecho hoje compreendido entre as atuais ruas Miguel Couto e Gonçalves Dias

Macedo recorda-se dele em 1838, velho, cego e um pouco surdo, usando uma espécie de corneta de cobre ao ouvido para entender o que os fregueses queriam. Quando os seus ajudantes demoravam muito para achar o livro solicitado pelo cliente, ele, sem ver, levantava-se e ia certeiro até onde se encontrava a obra desejada. Como conseguia tal proeza? Dizem que tinha uma memória formidável e que sabia a localização das obras pois organizava sozinho os livros nas estantes.

Um comentário:

Pedro disse...

Rapaz, achei seu blog pela Wikipédia e devo dizer que adorei mesmo...

Estou começando um projeto com uns amigos e seu blog tem tudo a ver com ele... Já está no meu FEED e lerei sempre...

A internet precisa de um pouco de blogs como o seu.

Parabéns,
Pedro.
--------------------
www.historiasparaler.blogspot.com